12.11.14

DIY: Mason Jar fofa e baratinha


Há uma semana, no Instagram da Paula Buzzo, ví um montão de meninas desesperadas por um utensílio de cozinha retrô fofíssimo. O copinho de vidro, também conhecido por aí como Maison Jar, entrou pra listinha de desejos de muita gente - inclusive pra minha - e eu acho que nem preciso me aprofundar nos porquês...

Porém, depois de olhar a foto da Paula com atenção, eu percebi uma coisa bem engraçada e curiosa: era possível obter o mesmo efeito vintage bacana reutilizando uma coisa que quase todo mundo tem em casa: o velho pote de conservas da mamãe. Como eu aaaaaaaamo produtos em conserva (palmito, cogumelo, aspargo e por aí vai), eu sempre tenho um potinho desses dando sopa aqui no apê. Nada melhor do que reaproveitar o bendito pra uma coisa legal - afinal, sou dessas que acha reciclagem o máximo!



Mais ou menos idealizei o copinho, providenciei os materiais com a ajuda do marido, botei a mão na massa e criei uma versão econômica e ecologicamente bacana para ter uma fofura dessas em casa. E ó, todo o trabalho levou menos de 10 minutos.


Para fazer sua Maison Jar, você vai precisar de:

1. Um potinho de vidro com tampa, limpo e sem rótulo (os de palmito são os meus favoritos)
2. Tintas acrílicas para artesanato (eu usei a Acrilex com efeito fosco)
3. Pincéis (eu usei o nº 20 e o nº 0)
4. Furadeira
5. Canudo

PS: rótulos são coisas muito chatas de remover, por isso, aqui em casa, a gente usa um produto chamado Removedor Perfumado. Eu pinguei um pouco em uma esponja de aço e esfreguei até sair. O vidro ficou bem lisinho e sem cola. 

Como fazer

O primeiro passo é fazer um furo na tampinha com furadeira. Como eu não tenho experiência (e já estraguei até as paredes aqui do apê, HAHAHA), pedi ao meu pai para furar a tampa.


Com a tampinha devidamente preparada, o próximo passo é iniciar a pintura: geralmente, as tampinhas de conservas vem cheias de informações sobre o produto. Para cobrir, passe uma primeira camada de tinta, espere secar e, só então, passe a segunda camada. Se depois desse tempo ainda restarem falhas na pintura, aplique a tinta pela terceira vez.


Se quiser deixar a jarrinha bem fofa, decore com bolinhas. Eu utilizei tinta amarela e o cabo do pincel menorzinho pra fazer o efeito. Foi baba de fazer e eu achei o resultado um amor!


Espere secar e voilá: aí está a jarrinha, pronta para uso. Como vocês podem ver na foto, eu já estreei a minha - e quase que tomei toda a Itubaína antes das finalizar as fotos. Hahahaha!


6.11.14

Tatuagens geeks para inspirar

Sabe aquela história de que depois da primeira tatuagem vem aquela baita vontade de fazer mais um montão? Pois bem, eu posso dizer que funciona assim mesmo... este ano, fiz duas tattoos bem legais e já estou aqui, pensando na terceira.

Desta vez, quero uma coisa bem geek. Foi nessa busca por tattoos que eu encontrei alguns exemplos bem legais para quem se amarra em desenhos, séries e quadrinhos. Dá só uma olhada:


Não tem jeito: o Stitch é a coisa mais fofa desse mundo, né? Eu super faria uma tattoo pequenininha dessa criatura. Também amei o C3-PO e o R2-D2 versão caveira mexicana. Hahaha!


Jack Skellington tá muito fofinho e charmoso nessa tattoo no pulso. Já os fãs de Adventure Time vão curtir muito a arte aí de cima - ficou legal, né?


Mais opções bacanas. Minha favorita é essa versão Lego de Batman e Robin. Muito amô!

Eu pretendo tatuar um desses personagens aí de cima em breve. Alguém arriscaria um palpite?

5.11.14

Vlog: minha experiência com a dermopigmentação de sobrancelha



Todo mundo sabe que eu enfrento um verdadeiro dilema com as minhas sobrancelhas há um tempão. Por isso, no início do mês passado, resolvi radicalizar e tentar um procedimento bem legal para corrigir as falhas: a dermopigmentação.

Para quem não conhece, a dermo é uma espécie de "tatuagem" só que temporária - com duração máxima de até dois anos. O procedimento é bacana porque ajuda a realçar o olhar e a valorizar a expressão.

No vídeo, eu conto um pouquinho sobre a minha experiência e ainda dou dicas para quem ficou com vontade de arriscar. É só dar o play e assistir!



Como falei no vídeo, fiz minha dermopigmentação no Spa das Sobrancelhas, um lugar bem bacana com profissionais especialistas no assunto. Eles têm um montão de unidades aqui no Brasil, inclusive, uma bem pertinho aqui de casa, no Limão - a loja que escolhi. Fui super bem atendida pela Lívia, a designer, que entendeu direitinho o que eu queria e deixou minhas sobrancelhas definidas e bonitas de novo. E o bacana é exatamente isso: tudo é feito com o aval da cliente, ou seja, o procedimento não é iniciado sem aprovação total.

É um investimento legal e que vale bastante à pena. Porém, se você não puder fazer o procedimento agora, por falta de grana, separei alguns produtos legais para ter em casa que ajudam a manter as sobrancelhas bonitas e cheias.

Info: Spa da Sobrancelhas - Limão
Av. Deputado Emilio Carlos, 990
Telefone: (11) 2507-1257

PS: Este post não é um publieditorial.

31.10.14

Layout novo

Eu já tive uma porção de blogs diferentes. O primeiro - um site bastante amador, diga-se de passagem - hospedado no falecido Kitnet, estava mais pra um diário virtual do que outra coisa. Depois disso, vieram o Blogspot, o Weblogger do Terra, o Big Blogger - que também sumiu do mapa - e centenas de outros canais que me possibilitavam fazer uma das coisas mais bacanas da minha adolescência nerd: compartilhar meu ponto de vista com o mundo. E puxa, como eu adorava aquilo! O problema é que, por mais que eu desejasse, não conseguia manter minhas páginas por muito tempo. Sobrava ansiedade e faltava empenho. Então, todas essas páginas acabaram esquecidas em algum lugar da internet.

Passada essa fase, criei uns três ou quatro blogs literários. E foi legal por um tempo. Mas, com o passar dos meses, eu percebi que escrever só pra mim era algo que não fazia muito sentido. Terminei o colégio, entrei para a faculdade de jornalismo, exclui os outros blogs e criei o Good News.

É verdade: no começo, as coisas que eu escrevia aqui eram muito pessoais. Mas, a internet é uma mãe boazinha, e me deu alguns leitores incríveis. Já são quase quatro anos escrevendo aqui e eu sinto que, finalmente, essa coisa de blogar faz algum sentido pra mim. Adoro o que faço e não minto quando digo que vocês, que me leem aí do outro lado, são os maiores responsáveis por essa casinha manter suas portas abertas até hoje.

O que eu quero dizer com isso tudo? É que eu mudei muito e vi a blogosfera mudar também. Eu estava aqui quando Brumaximus e Templates By Marina existiam. E estava aqui quando o bacana era ter uma janelinha pop-up irritante de boas vindas no blog.

É claro que, de 2002 para cá, muita coisa mudou pra melhor. Mas, sabem... ainda sinto falta da blogosfera antiga. Ontem, quando decidi mudar o meu layout pela 3.456ª vez - nem me lembro mais - eu me recordei da época em que todo mundo curtia mudar o layout. E fiquei com uma saudadinha gostosa do tempo que identidade visual, midia-kit e número de pageviews não existiam. Me chamem de louca, whatever, mas tenho a leve impressão de que blogar, naquela época, era bem mais divertido.

E antes que vocês me perguntem, a resposta é não: não sou contra a monetização dos blogs - estou na luta assim como vocês e sonho com o dia em que ganharei muito dindin fazendo o que eu gosto. Mas é que, às vezes, eu sinto falta da leveza, do amadorismo e da falta de compromisso. É ruim admitir isso, mas... acho que estou ficando velha. Hahaha!

É, eu mudei meu layout. Não tem jeito: enjoo fácil dos templates, me apaixono pelo novo e sou viciada em mudanças. Ficou fofo, ficou vibrante, ficou do jeito que eu queria. Mas mais importante: me fez lembrar que, aquela menina de poucos amigos, que passava boa parte do tempo em frente ao pc ainda existe. E que mudar o layout sempre, mesmo que isso já não seja mais moda na blogosfera, é um jeitinho de mantê-la bem viva dentro mim.




28.10.14

Pra refletir e ajudar: Abraçando Patinhas

A verdade é uma só: não tem nada mais delicioso nesse mundo do que ter um doguinho em casa. É por isso que, todos os dias, eu preciso me lembrar do quanto sou sortuda: aqui no apê, em São Paulo, eu tenho dois - a Chica e o Percival - e em Atibaia, mais duas - Lila e Milu. Acho que dá pra imaginar o tamanho da minha felicidade, né?

Apesar do trabalhão que dá cuidar dessas criaturinhas - porque dá sim, e todo mundo sabe - eu considero o quarteto uma das coisas mais importantes da minha vida. Não existe nada mais gostoso do que chegar em casa e ser recepcionada com tanto amor e festa por esses peludinhos - e quem também curte cachorros, entende exatamente do que estou falando. 


É em nome desse amor, que eu abraço iniciativas legais sempre que posso. Além do meu trabalho com o Auchei, este mês também resolvi fazer minha parte em relação a um projeto que tem tudo a ver comigo: o Abraçando Patinhas. Ele nasceu lá no Rotaroots e tem um objetivo bem legal: incentivar a adoção de cãezinhos.

De quebra, o projeto também intenciona doar a maior quantidade possível de ração para a ABEAC - até agora, os idealizadores já conseguiram 1 tonelada! Tudo, claro, com a ajuda da Max Alimentos, que abraçou a iniciativa com muito carinho.

Ok, como posso ajudar o projeto?

Se você é apaixonado por cachorros, ainda não tem um bichinho, e tem plenas condições de cuidar de um animal, meu conselho é: adote! Na ABEAC, a instituição que receberá as doações do Abraçando Patinhas, existem mais de 1000 cãezinhos esperando por um lar.

Outra alternativa bacana é apadrinhar um au-au. Neste post aqui, no item 03, o pessoal do Rotaroots explicou direitinho como participar da ação.


Não pode adotar nem apadrinhar, mas quer muito ajudar a gente?

Take it easy! Há outras formas legais de participar efetivamente do projeto. Uma delas é doando um pacotinho de ração no site da Max Alimentos. Se você é blogueiro, também pode participar da blogagem coletiva, adotar o button do projeto e incentivar seus leitores a abraçarem a causa também - saiba mais aqui.




Esta blogagem coletiva faz parte do projeto Abraçando Patinhas, uma iniciativa do Rotaroots em parceria com a marca de ração Max – da fabricante Total Alimentos. Esta iniciativa reverterá na doação de 1 tonelada de ração para a ABEAC, ONG responsável pelo bem estar de cerca de 1100 cães. Saiba mais sobre o projeto no site do Abraçando Patinhas ou participando do grupo do Rotaroots no Facebook.

23.10.14

Dicas: o app da Petite Jolie

Eu não sei quanto a vocês, mas eu sou viciada em fazer check-in no Facebook. Sou daquelas que ama indicar passeios, restaurantes e outros lugares legais para visitar.

Pelo visto, o pessoal querido da Petite Jolie também! Nesta semana, eles lançaram um app maneiro pra quem curte indicar locais, junto de um concurso bem legal que eu vou explicar mais adiante.

Eu fiz o download do app, disponível para Android e iPhone. Fiquei apaixonadinha pelo design mega colorido e hiper funcional logo de cara - afinal, tem coisa melhor do que um aplicativo bonito e descomplicado?

Resumidamente, a ideia é construir, por meio dele, um guia colaborativo de lugares interessantes para visitar. De quebra, ele ainda possui outras funcionalidades legais, como encontrar os pontos de venda da Petite Jolie mais próximos e a galeria de quotes - fofíssima, por sinal!

Detalhe: dá pra criar o seu próprio quote e compartilhar depois. São tantas opções de personalização que eu fiquei maluquinha!






Eu já criei meu perfil e prometo compartilhar vários lugares legais! Quer colaborar também? É bem fácil: basta fazer o download, criar o seu perfil e começar a indicar os lugares que você mais curte. Ah! E se você tem um blog, não deixe de se inscrever no concurso cultural também.

Em breve, a Petite Jolie vai escolher 4 blogueiras para uma ação bacana atrelada ao aplicativo. Todos os detalhes estão bem explicadinhos no regulamento. Quem sabe você não é uma das selecionadas pela marca? Saiba mais aqui.

22.10.14

3 bistrôs românticos em SP

São Paulo é um prato cheio pra quem curte gastronomia. Dos últimos meses para cá, tive a oportunidade de constatar isso. Mais ainda: pude conhecer alguns restaurantes bem legais na companhia do Di pessoalmente. E tenho que confessar que os da culinária francesa são os meus prediletos.

Eu sei que existe uma porção de bistrôs legais na cidade mas, para o post de hoje, eu vou citar só três. Tô aceitando indicações também. Por isso, se você souber de algum restaurante bacana, não deixe de compartilhar aqui.


Eu sempre ouvi muitas coisas boas a respeito do Paris 6. Pra quem ainda não conhece, é um restaurante mega badalado e frequentado por artistas, inclusive. Aliás, os pratos levam sempre o nome de algum famoso. Quando conheci o restaurante, com a família do Di, provei o Dalton Vigh - um delicioso risoto de cogumelos acompanhado de filé mignon. Hahaha!

Eles também mandam muito bem na sobremesa: são lindas, açucaradas e mega desejáveis. A mais famosa é a Grand Gateau, uma versão big do famoso bolinho quente com sorvete. Ainda não provei - fiquei com o Petit Gateau de Prestígio do Oscar Filho, e não me arrependi.

O lugar também é lindo, com um ar todo retrô e elegante, super acolhedor. O que não é nada bacana é o preço e as filas de espera - que são imensas. Pra vocês terem uma ideia, eu estava super afim de voltar lá na próxima sexta, quando eu e o Di completarmos 5 meses de casados mas, pra minha surpresa, todas as reservas de outubro estão esgotadas. :/

Enfim, apesar do preço salgado e da procura enorme, eu recomendo, especialmente quando a ocasião for especial. Ele tem um climinha gostoso pra curtir a dois e, pensando bem, vale à pena gastar uma graninha nesse caso. Comer bem é um investimento legal. Hahaha!


Eu ainda não conheço muito para falar a respeito, mas li coisas interessantes sobre o bistrô. Cheguei até ele enquanto procurava um restaurante legal para comemorar os 5 meses, e ele estava lá, entre os restaurantes mais românticos de São Paulo.

E pelas fotos, é mesmo! Toda a decoração é de uma graciosidade sem fim, e que deixa a gente até sem fôlego. Eu dei uma olhadinha no site e amei tudo o que vi. O jazz, tocando baixinho, me deu a sensação de que terei uma ótima impressão no dia 24.


Taí um restaurante incrível: decoração impecável, atendimento excelente, comida saborosíssima e quentinha. É sério, eu nunca vi um pedido chegar tão rápido na minha mesa e ser tão gostoso ao mesmo tempo!

Tudo lá funciona e o ambiente é ótimo: fui com o Di e jantamos ao som de um jazz maravilhoso! Se você também for, peça a Moelleux au Chocolat, uma torta cremosa de chocolate com macadâmia servida com sorvete. Eu juro que nunca provei uma torta tão gostosa em toda a minha vida. Só de falar, fico com água na boca!



Curtiu? Compartilhe aqui quais são seus restaurantes prediletos aí na sua cidade. :)
Layout por Brigadeiro Digital