sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Layout novo

Eu já tive uma porção de blogs diferentes. O primeiro - um site bastante amador, diga-se de passagem - hospedado no falecido Kitnet, estava mais pra um diário virtual do que outra coisa. Depois disso, vieram o Blogspot, o Weblogger do Terra, o Big Blogger - que também sumiu do mapa - e centenas de outros canais que me possibilitavam fazer uma das coisas mais bacanas da minha adolescência nerd: compartilhar meu ponto de vista com o mundo. E puxa, como eu adorava aquilo! O problema é que, por mais que eu desejasse, não conseguia manter minhas páginas por muito tempo. Sobrava ansiedade e faltava empenho. Então, todas essas páginas acabaram esquecidas em algum lugar da internet.

Passada essa fase, criei uns três ou quatro blogs literários. E foi legal por um tempo. Mas, com o passar dos meses, eu percebi que escrever só pra mim era algo que não fazia muito sentido. Terminei o colégio, entrei para a faculdade de jornalismo, exclui os outros blogs e criei o Good News.

É verdade: no começo, as coisas que eu escrevia aqui eram muito pessoais. Mas, a internet é uma mãe boazinha, e me deu alguns leitores incríveis. Já são quase quatro anos escrevendo aqui e eu sinto que, finalmente, essa coisa de blogar faz algum sentido pra mim. Adoro o que faço e não minto quando digo que vocês, que me leem aí do outro lado, são os maiores responsáveis por essa casinha manter suas portas abertas até hoje.

O que eu quero dizer com isso tudo? É que eu mudei muito e vi a blogosfera mudar também. Eu estava aqui quando Brumaximus e Templates By Marina existiam. E estava aqui quando o bacana era ter uma janelinha pop-up irritante de boas vindas no blog.

É claro que, de 2002 para cá, muita coisa mudou pra melhor. Mas, sabem... ainda sinto falta da blogosfera antiga. Ontem, quando decidi mudar o meu layout pela 3.456ª vez - nem me lembro mais - eu me recordei da época em que todo mundo curtia mudar o layout. E fiquei com uma saudadinha gostosa do tempo que identidade visual, midia-kit e número de pageviews não existiam. Me chamem de louca, whatever, mas tenho a leve impressão de que blogar, naquela época, era bem mais divertido.

E antes que vocês me perguntem, a resposta é não: não sou contra a monetização dos blogs - estou na luta assim como vocês e sonho com o dia em que ganharei muito dindin fazendo o que eu gosto. Mas é que, às vezes, eu sinto falta da leveza, do amadorismo e da falta de compromisso. É ruim admitir isso, mas... acho que estou ficando velha. Hahaha!

É, eu mudei meu layout. Não tem jeito: enjoo fácil dos templates, me apaixono pelo novo e sou viciada em mudanças. Ficou fofo, ficou vibrante, ficou do jeito que eu queria. Mas mais importante: me fez lembrar que, aquela menina de poucos amigos, que passava boa parte do tempo em frente ao pc ainda existe. E que mudar o layout sempre, mesmo que isso já não seja mais moda na blogosfera, é um jeitinho de mantê-la bem viva dentro mim.




terça-feira, 28 de outubro de 2014

Pra refletir e ajudar: Abraçando Patinhas

A verdade é uma só: não tem nada mais delicioso nesse mundo do que ter um doguinho em casa. É por isso que, todos os dias, eu preciso me lembrar do quanto sou sortuda: aqui no apê, em São Paulo, eu tenho dois - a Chica e o Percival - e em Atibaia, mais duas - Lila e Milu. Acho que dá pra imaginar o tamanho da minha felicidade, né?

Apesar do trabalhão que dá cuidar dessas criaturinhas - porque dá sim, e todo mundo sabe - eu considero o quarteto uma das coisas mais importantes da minha vida. Não existe nada mais gostoso do que chegar em casa e ser recepcionada com tanto amor e festa por esses peludinhos - e quem também curte cachorros, entende exatamente do que estou falando. 


É em nome desse amor, que eu abraço iniciativas legais sempre que posso. Além do meu trabalho com o Auchei, este mês também resolvi fazer minha parte em relação a um projeto que tem tudo a ver comigo: o Abraçando Patinhas. Ele nasceu lá no Rotaroots e tem um objetivo bem legal: incentivar a adoção de cãezinhos.

De quebra, o projeto também intenciona doar a maior quantidade possível de ração para a ABEAC - até agora, os idealizadores já conseguiram 1 tonelada! Tudo, claro, com a ajuda da Max Alimentos, que abraçou a iniciativa com muito carinho.

Ok, como posso ajudar o projeto?

Se você é apaixonado por cachorros, ainda não tem um bichinho, e tem plenas condições de cuidar de um animal, meu conselho é: adote! Na ABEAC, a instituição que receberá as doações do Abraçando Patinhas, existem mais de 1000 cãezinhos esperando por um lar.

Outra alternativa bacana é apadrinhar um au-au. Neste post aqui, no item 03, o pessoal do Rotaroots explicou direitinho como participar da ação.


Não pode adotar nem apadrinhar, mas quer muito ajudar a gente?

Take it easy! Há outras formas legais de participar efetivamente do projeto. Uma delas é doando um pacotinho de ração no site da Max Alimentos. Se você é blogueiro, também pode participar da blogagem coletiva, adotar o button do projeto e incentivar seus leitores a abraçarem a causa também - saiba mais aqui.




Esta blogagem coletiva faz parte do projeto Abraçando Patinhas, uma iniciativa do Rotaroots em parceria com a marca de ração Max – da fabricante Total Alimentos. Esta iniciativa reverterá na doação de 1 tonelada de ração para a ABEAC, ONG responsável pelo bem estar de cerca de 1100 cães. Saiba mais sobre o projeto no site do Abraçando Patinhas ou participando do grupo do Rotaroots no Facebook.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Dicas: o app da Petite Jolie

Eu não sei quanto a vocês, mas eu sou viciada em fazer check-in no Facebook. Sou daquelas que ama indicar passeios, restaurantes e outros lugares legais para visitar.

Pelo visto, o pessoal querido da Petite Jolie também! Nesta semana, eles lançaram um app maneiro pra quem curte indicar locais, junto de um concurso bem legal que eu vou explicar mais adiante.

Eu fiz o download do app, disponível para Android e iPhone. Fiquei apaixonadinha pelo design mega colorido e hiper funcional logo de cara - afinal, tem coisa melhor do que um aplicativo bonito e descomplicado?

Resumidamente, a ideia é construir, por meio dele, um guia colaborativo de lugares interessantes para visitar. De quebra, ele ainda possui outras funcionalidades legais, como encontrar os pontos de venda da Petite Jolie mais próximos e a galeria de quotes - fofíssima, por sinal!

Detalhe: dá pra criar o seu próprio quote e compartilhar depois. São tantas opções de personalização que eu fiquei maluquinha!






Eu já criei meu perfil e prometo compartilhar vários lugares legais! Quer colaborar também? É bem fácil: basta fazer o download, criar o seu perfil e começar a indicar os lugares que você mais curte. Ah! E se você tem um blog, não deixe de se inscrever no concurso cultural também.

Em breve, a Petite Jolie vai escolher 4 blogueiras para uma ação bacana atrelada ao aplicativo. Todos os detalhes estão bem explicadinhos no regulamento. Quem sabe você não é uma das selecionadas pela marca? Saiba mais aqui.
Layout por Brigadeiro Digital