Vamos falar de amor?

As pessoas tem uma mania preocupante de interpretar o amor de maneira errada. Tem gente que acha que pra ser amor, é preciso renunciar a uma série de coisas, redigir um contrato, trocar alianças e promessas de uma parceria sem fim. Não que o "pra sempre" não me encante: na verdade, penso em me casar um dia, de véu e grinalda, em uma igreja decorada com flores, ao som de uma melodia doce, dessas de encher o coração da gente. Mas o fato é que amor não é só amor quando dura. Amor é amor em qualquer época e de qualquer jeito. Se ele dura ou não, aí é outra história: depende da gente, do mundo que vive se transformando, dos sonhos que esquecemos, das vontades que, de repente, aparecem. E amor, não precisa acontecer assim: de você pra mim, seguindo as convenções desse mundo bizarro. O amor vive sem fronteiras, não distingue espécies, não procura esteriótipos. Por isso, podemos amar tudo e qualquer coisa: o namorado, uma estrela, o toque do cetim, o cheiro do alho frito, o último romance chiclete da Marian Keyes, aquela música velha do Cake, as listras de uma gravata. Tudo isso é amor. E ponto. Ama quem dorme de conchinha. Quem enrola o cabelo na ponta dos dedos. Quem canta sozinho faxinando a casa. Quem chora ouvindo bossa nova. Ama quem canta "words are flowing out like endless rain into a paper cup" tudo errado. Quem adora o sabor da pasta de dente. Quem escolhe xampus pelo perfume. Ama quem beija devagar e quem se entrega ao prazer de fechar os olhos no primeiro gole de uma Coca Cola bem gelada. Ama quem quer casar e ama quem quer juntar as escovas. Ama quem pensa em ser pai, avô, melhor amigo, equilibrista, super herói e confidente. Ama quem tem um namorado por noite. E ama quem escolhe namorar, todas as noites, o mesmo amigo. Ama quem sabe reconhecer o conforto de um chinelo velho. A beleza de uma estrela solitária numa noite de Inverno. O perfume do café de manhã. Ama quem vive na simplicidade, quem se equilibra na corda bamba da confusão, porque, amor de verdade mesmo, não precisa fazer sentido: o amor não exige regras, não respeita convenções. Por isso, feche os olhos. E experimente amar de verdade as coisas a sua volta. Permita-se esquecer todos aqueles romances chiclete e ame de verdade, sem medo, as coisas mais bobas da sua vida. Você vai perceber que para amar, não é preciso subir ao altar, nem viver um conto de fadas de comercial de margarina. Para amar, basta estar bem, estar em paz. E todo o resto, é conversa fiada.

Veja também:

5 comentário(s)

  1. Que coisa mais linda esse texto *o*
    Estou encantadamente encantada *-* Concordo com tudo, do começo ao fim! A gente é mesmo puro amor, é só querer sentir, querer vivê-lo! ♥

    ResponderExcluir
  2. Esse post é um amor! Lindo, adorei!

    ResponderExcluir
  3. "Ama quem quer casar e ama quem quer juntar as escovas. Ama quem pensa em ser pai, avô, melhor amigo, equilibrista, super herói e confidente. Ama quem tem um namorado por noite. E ama quem escolhe namorar, todas as noites, o mesmo amigo."

    e até quem não tem namorado, como eu hahaha

    super amando o post, Mah.

    ResponderExcluir
  4. Que lindo texto, Mariana!! Por isso é sempre bom entrar aqui no seu blog, sempre faz a gente refletir!!! <33

    ResponderExcluir
  5. Amei <3
    Mariana estava pensando em adicionar o seu blog nos meus afiliados,você permite? Caso você goste do meu é só adicionar no eu leio.
    Aguardo resposta
    http://www.avidaemletras.com/

    ResponderExcluir

Instagram Images