Quero criar uma lojinha virtual. E agora?


Abrir uma lojinha virtual é uma maneira excelente de ganhar dinheiro e de quebra, administrar um negócio próprio. Sei disso porque acompanho de pertinho o trabalho da minha irmã na Lebiju e, acreditem: quando a lojinha é administrada com atenção e carinho, a coisa realmente dá certo.

No entanto, há uma série de coisas que precisam de atenção - do contrário, podem rolar algumas decepções. Pensando nisso, reuni pequenas dicas para quem está pensando em aderir à prática do comércio online. A ideia é esclarecer algumas dúvidas para que não hajam frustrações lá na frente.

CNPJ e nota fiscal

Você não precisa de CNPJ, nem precisa emitir notas fiscais para manter sua lojinha virtual dentro da lei. No entanto, se com o tempo a lojinha crescer e você passar a vender para empresas, precisará de ambas as coisas. Antigamente, conseguir um CNPJ era bem mais complicado. Porém, hoje, os órgãos administrativos criaram o MEI (também conhecido por Microempreendedor Individual), que nada mais é do que uma maneira de formalizar o trabalho autônomo de forma muito mais prática.

Para ser um microempreendedor, é necessário faturar até 60 mil reais por ano. Após o cadastro, a pessoa passa a ter autorização para emitir notas fiscais. No Portal do Empreendedor, há uma série de textos esclarecedores sobre o assunto. Vale à pena dar uma olhada.

Escolha a plataforma

Uma lojinha com uma plataforma segura é fundamental - afinal, ninguém sai por aí comprando em lugares que não transmitam confiança, não é mesmo? Na internet, há dezenas de páginas que oferecem hospedagem para lojinhas virtuais porém, é preciso ser bastante seletivo e exigente na hora da escolha. Procure conhecer seu público a fundo e só então, tome a decisão. Se tiver condições de investir um pouquinho mais e criar sua própria plataforma, melhor ainda. Importante: procure sempre pensar na comodidade do cliente na hora de escolher as opções de pagamento. Aderir ao sistema do Pag Seguro, por exemplo, é uma maneira ótima de transmitir mais segurança às pessoas na hora das compras - entenda mais aqui.



Invista na identidade

Investir em identidade visual também é importante para conseguir clientes - quem não se apaixona quando vê uma identidade visual bonita? Lembre-se: imagem é tudo! Capriche no logo, nas artes, nas cores... faça um cartãozinho de visitas, um site e tenha um domínio personalizado. Se puder contratar um profissional ou uma empresa especializada para deixar tudo do jeitinho que você imagina, melhor ainda. 

Redes sociais

As redes sociais são ferramentas excelentes na hora de divulgar produtos ou serviços. Contudo, não adianta criar perfis em todas elas; é preciso, primeiro, selecionar as redes mais interessantes e que tenham mais a ver com o perfil do seu público. Faça uma análise criteriosa, e só depois, crie os canais. Ah! Não esqueça: alimentar as redes sociais da sua lojinha com um conteúdo relevante é indispensável.


O assunto é bem extenso, portanto, pretendo fazer mais posts nos próximos dias.
E vocês, gostaram das dicas? Não esqueçam de compartilhar suas opiniões nos comentários! ;)

PS: o segundo post da série já está no ar. Clique aqui e descubra as vantagens e desvantagens das duas principais redes de lojinhas virtuais da internet.


Este post faz parte da série Lojinhas virtuais.
Para visualizar todos os posts da série, clique aqui.

Veja também:

3 comentário(s)

  1. Nooossa, não é tão simples assim né....bem trabalhoso....

    http://diariodabrunet.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Nossa nem acreditei quando encontrei esse post.
    A um tempo que eu estava querendo saber como se faz pra ter uma loja online, só que quem tem não explica, só diz que tem que ter responsabilidade e tal's (e eu todos sabemos né).
    Eu ainda não sei se quero mesmo fazer uma, mas sei que esse post me tirou dúvidas e estou esperando os próximos. Quem sabe no final eu me decida né :D


    Ideias Trocadas

    ResponderExcluir

Instagram Images