Filme: Bling Ring


Eu sei. Demorei um tempão para assistir a esse filme - podem falar e me julgar, ok? Mas, acreditem ou não, eu tenho uma boa desculpa pra isso.

Não sei se todos vocês sabem, mas eu moro numa cidadezinha do interior de São Paulo. Ok. Não é tão pequenininha assim, nem tão longe da capital, mas o fato é que, como toda cidadezinha que se preze, ela tem um único cinema. E é claro que nem todos os filmes chegam aqui.
Bling Ring foi um desses tristes casos. Não chegou em Atibaia. E aí, eu fiquei meio preguiçosa. Para falar a verdade, muito preguiçosa. Sabe aquela coisa de pegar o controle remoto e esperar até que o filme seja exibido na TV à cabo? Pois bem.

Mas, na semana passada, graças ao Julio (oi, Julio!) eu pude assistir Bling Ring pelo Netflix. E puxa vida, minha gente, como eu adorei esse filme!


Primeiro porque é um filme de gente como a gente - sabem como é? Ando com preguiça das produções com repertório fantástico. Histórias reais, de personagens reais - sem vampiros e criaturas mágicas - são muito mais interessantes. Não que eu não goste de filmes no gênero fantasia - na verdade, gosto sim, e bastante - mas às vezes eu acho que a gente precisa se apaixonar por histórias reais também. E essa história é um bom exemplo, já que é baseada em algo que aconteceu de verdade.




Depois porque o filme tem um glamour irresistível. Apesar da história gerar revolta e você torcer para que os personagens levem a pior, há uma partezinha que fica admirada e encantada com dezenas de coisas. E, acreditem, a gente volta a ser adolescente. Não a ponto de sair cometendo delitos, mas, vamos combinar? Não dá pra ficar imune ao luxo e à adrenalina.

Não faço ideia se a intenção da Sophia, ao escrever o roteiro, era essa: mas eu me senti de volta ao passado, como se tivesse 16 anos de novo. E acho que o filme resgatou um pouco daquele desejo que a gente geralmente tem quando é mais novo de querer abraçar o mundo, de querer ser notado.

A linguagem e a maneira como as coisas se desenrolam são espetaculares e, antes que me perguntem se eu mudaria alguma coisa, a resposta é que eu cortaria a cena final, apenas porque achei desnecessária.




O veredito final? Super recomendo! Principalmente para aqueles que adoram ver coisas bonitas - e sim, estou falando de roupas incríveis, sapatos fantásticos, joias e casas magníficas. O filme é leve, instigante, e me fez sentir como uma adolescente outra vez. Com certeza, assistirei outras vezes.

E você, já assistiu? O que achou?



Todas as fotos foram gentilmente tomadas por empréstimo do Adoro Cinema

Veja também:

3 comentário(s)

  1. Marii!
    Acredita que eu vi esse filme faz umas duas semanas hahahahahas atrasadas né!
    Sabe que eu gostei? Eu ficava toda hora procurando traços da Sofia no filme, mas quando eu parei e desencanei disso passei a me envolver com a história.
    Só uma coisa, não sei era o personagem, mas achei a Emma péssima. Um afetado que extrapolava a afetação da personagem!

    Beijo!!

    ResponderExcluir
  2. Amei seu espaço um amor, mil beijos e sucesso.

    ResponderExcluir

Instagram Images