Sobre lencinhos, decepções e a capacidade de esperar dias mais iluminados

12:07

❤ Este post foi feito para o primeiro desafio do We Love Fashion Blogs. A propósito, as votações já começaram. Se você curtiu, vai, clica aqui, e me ajuda a continuar no concurso! 


Eu tinha apenas quatorze anos a primeira vez em que me desiludi com um namorado. Ele, um ou dois anos mais velho, decidiu ir escondido ao cinema com outra garota. Quando descobri seu pequeno deslize, chorei por horas seguidas, experimentando, pela primeira vez, o gostinho amargo de ser enganada. Só depois de muitas lágrimas foi que resolvi juntar os caquinhos que restaram, e recolher a dignidade perdida em meio aos lencinhos de papel.

Realmente achei que não viveria nada parecido de novo. Mas o tempo passou e outros namorados vieram. No final das contas, acabei chorando por todos eles. Precisei de muitos lencinhos pra constatar, mais tarde, que as decepções faziam parte do processo. E só assim pude aceitar as brigas e os rompimentos com menos relutância.

A vida seguiu seu curso. E uma vez que ninguém inventou uma fórmula mágica que fizesse todo mundo parar de crescer, eu fui ficando mais velha. Outras decepções vieram à medida em que eu fazia mais e mais aniversários. Agora, o garoto por quem estava apaixonada não era mais a única preocupação: havia também todos os aborrecimentos que faziam parte da vida adulta com os quais eu, obviamente, não estava acostumada a lidar.

A primeira vez em que fui reprovada em um vestibular, o dia em que perdi meu emprego, às vezes em que tive meu currículo negado... todas essas peças pregadas pelo destino apareceram de surpresa. Chorei por todas elas, como esperado. Mas, no final das contas, entendi que, assim como os rompimentos, eram situações faziam que parte do processo. E acabei aceitando-as também depois de algum tempo.

Numa reflexão bem sincera, eu digo que é realmente uma pena que ainda não tenham criado um Manual de Instruções da Vida, com todos os devidos conselhos de uso, precauções e cuidados. A gente precisa descobrir como lidar com as decepções na prática mesmo, e sem direito a reset. Às vezes, falta um botão para zerar tudo aquilo que fazemos de errado, nossos medos e nossas preocupações. Também não dá pra trocar de "vida" se ela apresenta algum defeito... geralmente, a gente precisa consertar a coisa sozinha e aprender a aceitar que sim: desilusões fazem parte.

Eu precisei de muitos lencinhos até entender que a vida não é perfeita como nos filmes. Que ela não tem sabor de pipoca com manteiga. E que desentendimentos nem sempre terminam com beijos longos, calorosos e apaixonados. Mas os mesmos lencinhos também me ensinaram que viver não é estar constantemente sob uma nuvem carregada. E que ainda que a gente não possa controlar o tempo, em um dia chuvoso temos o livre arbítrio de decidir se ficamos em casa ou se arriscamos um passeio.

Entre um soluço e outro, descobri que para cada coisa ruim sempre haverá uma coisa boa. E que a esperança se renova à medida em que aceitamos nossas derrotas e valorizamos o que há de bom: por isso, quando o peito fica apertado, procuro me concentrar nas coisas boas do meu mundo. Essa atitude não me dá o poder de mudar os fatos, é verdade. Mas, surpreendentemente, me traz esperança: de dias mais iluminados, serenos e felizes.


Os mesmos lencinhos que enxugaram minhas lágrimas também me ajudaram a encarar os problemas de frente. E assim, devagarinho, como uma lagarta em metamorfose, eu passei a buscar em mim a força para criar asas. Hoje, eu posso afirmar que acredito muito mais na minha capacidade. E que deixei de me culpar por tudo aquilo que acaba saindo do eixo.

Se algo dá errado, por mais que demore, sei que consigo consertar o estrago. Isso não faz de mim uma super heroína, é verdade. Mas me dá poder para seguir em frente, e persistir até mesmo nos dias mais cinzentos, quando tudo parece fora de controle.

Os lencinhos me mostraram, após pequenas e grandes decepções, que a gente não precisa de uma vida livre de desilusões. E que ser uma pessoa positiva nada tem a ver com encenar uma vida que não existe, buscando a perfeição em todas as nossas arestas. A positividade mora na nossa capacidade de aceitar que não somos perfeitos e que jamais teremos uma vida livre de problemas. E também mora no nosso jeitinho de olhar pra frente e acreditar que, mesmo em meio ao caos, dias mais iluminados virão. Que só precisamos de amor e perseverança para contornar as adversidades. Que o que pode tornar a nossa existência especial é a nossa capacidade de transformar desfechos nem tão felizes em aprendizado, tempestades em música pra dormir, fraquezas em coragem para lutar de frente. Que se cercar de bons sentimentos é a melhor saída para driblar os pensamentos ruins que chegam sem aviso. Que a felicidade vem mais fácil quando amamos a nós mesmos. Que valorizar as coisas boas que temos à nossa volta ajuda a construir muros contra o desânimo. E que com ou sem lencinhos, somos suficientemente capazes de enxugar o rosto, sorrir de novo e seguir em frente, mais uma vez.

* * *

E você: é uma pessoa otimista? Está sempre buscando acreditar no melhor apesar dos obstáculos? Quer mudar o seu jeito de encarar as coisas também?

Além dessas duas dicas, listei 30 conselhos para uma vida mais zen e distribui todos eles em uma espécie de baralho dos bons sentimentos, prontinho para impressão ~ tá disponível pra download aqui, junto com os pôsteres que ilustraram este post. A ideia é que você sorteie uma carta por dia. Cada uma contém um desafio diferente, sobre gratidão, amor próprio, renovação e gentileza. :)









Agora me conta: qual é a sua dica pra uma vida mais iluminada e otimista?

Veja também:

21 comentário[s]

  1. Nossa, Mari, adorei o seu post, muito inspirador e bem escrito. Me identifiquei muito com suas palavras e adorei o baralho! Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Olha, vi todos os posts que fizeram até agora pro concurso, e o seu foi o melhor até o momento! Eu amei, você sempre pensando nos detalhes, caprichosa e muito criativa. Conheci teu blog, pelo concurso da Kipling ano passado e não foi a toa que você ganhou, muito talentosa. Parabéns,seus posts são incríveis e seu blog muito lindo. Boa sorte! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruna, super obrigada por essas palavras tão gentis e queridas! <3 Fiquei mega emocionada aqui! :')

      Excluir
  3. Geeente! Eu super preciso de um baralho desses! Tipo pra ontem.. HAHAHAHA Nao que eu nao seja otimista, mas tem dias que fica mais dificil. Ameeei a dica. Beijinhos

    http://www.verdadeescrita.com/por-ai-ainda-existe-saudade/

    ResponderExcluir
  4. Poxa adorei a sua iniciativas com as cartinhas!!!
    Fiquei bem feliz.
    Gostei bastante do post, me identifiquei, é bom saber que tu não é o único no mundo a passar por isso.

    ResponderExcluir
  5. Já baixei para imprimir o meu baralho ♥
    Engraçado como basicamente passamos pelas mesmas coisas.
    Primeiro namorado agente pensa que é pra vida toda, e as vezes aceitamos viver de uma maneira não tão saudável porque achamos que é tudo que temos.
    Mais quando nos colocamos em 1º lugar corremos atrás da nossa felicidade e não aceitamos nada menos que isso, e a roda da vida gira novamente.
    Esse post é maravilhoso ♥
    Você é uma inspiração!
    Sonho que um dia meu Blog chegue perto do que o seu é!
    Por favor me responda, me siga sei lá queria entrar em contato com você.
    Torço pelas mais belas realizações e sonhos em sua vida!
    Fica com DEUS
    beijos
    Lanna
    www.meninacaprichosa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lanna, brigada pelo carinho e pelas palavras! ❤

      Excluir
  6. Que blog fofinho *-*, já estou apaixonada pelo primeiro post que leio.Estou amando o WLFB desse ano.

    E meu Deus que bonequinha linda da Cinderela ♥

    Beijoss

    Poesia em Transe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brigada, Gabi! <3 <3 Tb estou amando, muita gente talentosa! <3 :)

      Excluir
  7. Incrível o post e os cartõezinhos <3 Adorei a ideia e a escrita. Com gratidão por todos os momentos, principalmente dos bons, a vida só vi nos pregar coisas boas <3

    Red Behavior

    ResponderExcluir
  8. Que texto maravilhoso, uma ótima reflexão sobre o que passamos na vida.
    Antes eu me abatia muito com as decepções, mas depois parei com isso e comecei a prestar mais atenção nas coisas boas que aconteciam comigo, foi a melhor coisa que eu fiz.
    Lindos os cartões.

    Beijos

    www.camilatuan.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que fofa! Isso mesmo, tem que tentar ser positiva, mesmo nas adversidades! <3

      Excluir
  9. Sabe que ser mais positiva tem sido uma das minhas metas na vida? Em geral eu sou crítica demais em relação às coisas e, principalmente, em relação a mim. Tenho um projeto no meu blog, focado em ser mais grata. Fora isso, faço metas semanais, por exemplo: essa semana vou passar todos os dias sem reclamar de absolutamente NADA. Até agora confesso que não consegui, mas continuo tentando ;) Fica o link sobre gratidão para você conhecer!

    http://vintee5.com.br/gratidao-tambem-e-motivacao/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh, quero ver esse link. Tô indo pra lá já já. <3
      Eu tb tõ sempre tentando melhorar. É difícil, mas uma hora a gente consegue!

      Excluir
  10. São com textos assim que eu me apaixono mais ainda pela blogosfera. Obrigada, sério! Obrigada por compartilhar suas palavras, seus sentimentos e seu passado comigo, mesmo você nem me conhecendo (apenas saiba que me ajudou muito). Muito sucesso para você! <3

    Beijos,
    literarizei.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mi, sou eu quem agradeço pelas palavras tao doces, gentis e carinhosas! Muito obrigada! <3 <3 <3

      Excluir