Uma carta para o Vicente

Filho,

Dia desses eu li em algum lugar que amor de mãe é o maior amor que existe. Olha, deve ser mesmo. Porque, veja você, ainda nem nos conhecemos, e eu já sinto uma adoração tão grande! Faz valer cada noite mal dormida, cada dor ou mal estar. É como se as cólicas ou os pés inchados da gravidez de nada importassem. Eu, que já te amo tanto - e ainda nem te amo tudo - sinto que, por sua causa, tenho forças para suportar e enfrentar qualquer fardo. Fico pensando no que vai ser desse amor quando você chegar aqui... sinceramente, acho que meu coração vai explodir de tanta alegria! Aliás, não só o meu, mas o de uma porção de gente que também te ama, e conta cada semana, cada hora e cada minuto pra te ver. Convenhamos, é muito, muito amor acumulado para um único ser humaninho. E por falar em amor, filho, obrigada por ser meu parceirinho de todas as horas. Afinal, temos vivido tantas coisas juntos! Você deve ter percebido pela minha agitação os dias tempestuosos e cinzentos que enfrentamos. E pelas batidas do meu coração, deve ter compreendido que, apesar da tempestade, também houveram momentos muito mágicos e dias realmente bons. Ah, filho, falando nisso, queria que você pudesse ter visto com seus próprios olhinhos inocentes os lugares fascinantes que conhecemos juntos nos últimos meses, com você morando em minha barriga. De parques e paisagens exuberantes à neve branquinha chilena, foram tantos destinos! Eu te levei pra viajar pelo céu e para ver o mar - que aliás, filho, você vai amar conhecer. Mencionar o mar me faz lembrar que preciso agradecer por esse oceano de possibilidades que você me trouxe. É que, filho, eu confesso: cheguei a pensar que você me roubaria uma porção de coisas, e que me faria desistir de centenas de projetos: quanta tolice! Deixe-me contar um segredo: você fez o oposto; me deu tanta energia! Sinto que, agora, posso finalmente abraçar o mundo, e realizar tudo aquilo que eu cismar de fazer. Você, tão pequenininho, tem sido o meu combustível diário; o meu maior incentivo - mesmo com os seus graciosos trinta e poucos centímetros de altura. Com você de inquilino, fazer planos passou a ter mais graça. Desde que eu soube que você viria, comecei a projetar um montão de coisas pra gente; a rascunhar listas mentais de tudo o que eu quero te mostrar quando você chegar. E tem tanta coisa bonita pra você ver, filho, tanta coisa! Das jabuticabas doces da árvore daqui de casa até o azul do céu, existe todo um universo de coisas incríveis que você vai amar observar. Existem as nuvens, o mar de Iemanjá, as maritacas, o barulho do avião, as noites estreladas no céu, o perfume refrescante da chuva... Sério, são tantas maravilhas para conhecer, sentir e provar! Eu mal posso esperar para contemplarmos todas elas de mãos dadas. E falando em mãos, eu sei que você pode me sentir, filho. E que você presta atenção no meu toque carinhoso e brincalhão sobre a pele da barriga. Fique sabendo que essa foi a forma que encontrei de dizer que te amo, enquanto não ficamos cara a cara. E que meu coração fica quentinho e se enche de felicidade toda vez que você retribui meu gesto aos soquinhos e pontapés. Aliás, que delícia sentir você, vivendo aí dentro! Que benção extraordinária ser a sua casa! Eu sei que será fantástico quando você vier, mas ser a sua morada também é tão maravilhoso! Obrigada, mil vezes obrigada, pela experiência divina de carregar você. Talvez você jamais entenda o quanto eu me sinto agraciada. Mas não tem problema: continue crescendo, ficando forte, se enchendo ainda mais de saúde e ganhando coragem aí dentro, que enquanto você não vem, eu vou pensando num jeito de te explicar. Por ora, só queria agradecer por me iluminar tanto com tamanha felicidade, por me escolher para ser o seu portal para a vida, por decidir vir curtir esse mundo comigo. É provável que assim como a minha, a sua jornada não seja sempre perfeita, filho; talvez hajam muitas lombadas em seu caminho. Mas uma coisa eu prometo: estaremos juntos. Então, prepare-se e não tenha medo: a mamãe está aqui, pronta pra te ajudar a enfrentar tudo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário